Um pouco mais sobre a Espanha

Aqui vou colocar o que tenho aprendido sobre a Espanha e, principalmente sobre a Catalunha. Quero deixar claro que não sou nenhuma historiadora, nem sou afiliada a nenhum partido político assim como não tenho opinião formada sobre o cenário político-econômico aqui, até porque para ter opinião temos antes que conhecer, e, sendo bem sincera, não conheço de verdade.

Cadaques - Catalunha

A Espanha é formada por 16 regiões autônomas (aqui está o link do Ministério do Interior da Espanha referente às eleições, escolhi esse porque tem um mapa bem ilustrativo das regiões e, clicando em uma, é possível ver a divisão interna), é impressionante como em um país não muito grande possa ter tantas regiões distintas e verdadeiramente distintas. Além de que tem também uma diferença norte-sul (norte = acima de Madrid; sul = abaixo), as comunidades do norte eram, antes da unificação, autônomas (que coisa redundante, todas antes da unificação eram autônomas, mas vocês entenderam!), tanto que possuem língua prórpia (Galícia: gallego; Páis Basco: basco; Catalunha: catalão e Asturias também tem uma língua mas acho que não é reconhecida como língua oficial). Além dos movimentos separatistas (ETA é o maior exemplo para quem é de fora).

Valencia - Comunitat Valenciana

A questão de identidade aqui é interessantíssima. Estando na Catalunha, sinto isso forte. As pessoas não se dizem espanholas, se dizem catalãs. Os mais radicais querem a independência da Catalunha, mas esses são minoria, assim como tem também os ainda seguidores de Franco (impressionante, mas tem!). No País Basco deve ser ainda mais forte, ainda não fui, talvez lá seja a próxima Andorra, não sei.

A fama dos espanhóis por região:

  • Andalucia: vagos (= preguiçosos)
  • Catalunha: tacaños (= pão duro)
  • Galícia: respondem sua pergunta com outra pergunta e falam muito, mas não dizem nada.
  • Madrid: sem opinião. Todo mundo que perguntei “e Madrid?” fizeram uma cara neutra sem sal, como fazem com Brasília, sabe? Atenção, quem fizer essa cara com Brasília pra mim vai escutar!! Hehe.

    Palácio de cristal no parque Buen Retiro em Madrid

    Palácio de cristal no parque Buen Retiro em Madrid

Sobre as línguas oficiais (muito da MINHA perspectiva):

  • Catalão: escrita é um mix de espanhol com francês, claro, com palavras próprias, como xarxa. Gente, xarxa é rede! Xarxas sociales = redes sociais. Xocolata amb porras = chocolate com churros (muito útil aos turistas). A manha do catalão pra mim é fazer um mix do espanhol com francês e falar com pronúncia portuguesa. Ah, se um catalão vê isso! Piadinhas à parte, a fala, escutar catalão, depois que seu ouvido acostuma um pouco, os sons e as palavras são bem semelhantes ao português, não temos grandes dificuldades em entender a língua depois de um tempinho. Inclusive, acho mais fácil entender escutando do que lendo. Falar e escrever já são outros tantos…
  • Galego: gente, galego é o famoso portuñol! De novo, se um galego lê isso… De verdade, é muito parecido mesmo, até porque é perto de Portugal, fica ao norte de Portugal, então é natural que tenha semelhanças. A manha dessa língua (vou escrever um manual de como enrolar em catalão e gallego) é trocar o “j”, e as vezes o “g” também, por “x”, olhem o exemplo abaixo. Na Galícia não temos problema nenhum para ler galego, parece muito meeeesmo português, a fala é bem parecida ao português de Portugal. Mas gente, vamos combinar, veio à Espanha, mesmo que seja Galícia, se esforce para falar pelo menos com a sonoridade parecida com a língua deles, seja espanhol ou gallego. Porque vi uns brasileiros perguntando em português do Brasil, ainda por cima com sotaque do interior, direções e ainda não gostando que o receptor não estava entendendo. Também não é assim, né… Que coisa feia, chega a ser até uma atitude desdenhosa, vamos ao menos tentar e respeitar.
  • O Basco, ou Euskal como é o nome em Basco, esse sim não tem nada a ver com nada. É uma língua própria, sem raízes latinas ou anglo-saxãs, ainda não escutei, mas a escrita é muuuuuuito diferente de tudo.

    Jornal em castellano é periódico, em galego é xornais, lembra algo?

Fonte: aulas de Participació Política, sites oficiais de turismo, informações dos monumentos e, principalmente, conversa com espanhóis (esses sim têm sua opinião formada, e muitas vezes é difícil tirar isso da conversa).

Mais sobre a Galícia 

– Ibiza 

– Manifestações na Espanha: maio e junho de 2011. 

-Paisagens de Ronda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s